Cachorro deitado no sofá

Coronavírus: cães e gatos podem contrair?

Com esta história toda de coronavírus, quem tem um pet em casa acaba ficando na dúvida: como fica a situação dos nossos filhos peludos?

Bom, como todos sabem, a Covid-19, doença gerada pela mais nova versão do coronavírus, surgiu no final do ano passado na cidade de Wuhan, na China. Desse modo, uma parcela muito alta da população desse município passou a apresentar sinais de pneumonia, de uma maneira inexplicável no começo. Por isso, as autoridades sanitárias e epidemiológicas chinesas investigaram e descobriram, então, que se tratava de um novo tipo de enfermidade.

Por enquanto, o que se tem são mais perguntas do que respostas. Por exemplo: existe uma desconfiança de que a doença tenha surgido a partir de um mercado de carnes. Porém, não se sabe ao certo qual dos animais seria o portador original desse micro-organismo. Nesse contexto, os especialistas analisam morcegos, cobras, galinhas, sapos e coelhos. Mas e os nossos fofos filhos de quatro patas? Como lidar com eles nesse caos todo? O que devemos fazer para garantir a saúde deles e da nossa família? Se você está com o coração aflito, acalme-se. Neste post, vamos mostrar os cuidados com os animais domésticos nesta crise mundial. Quer saber mais? Então venha com a gente!

O que é a pandemia Coronavírus?

Uma pandemia é quando uma doença inédita — para a qual ninguém desenvolveu imunidade — começa a circular em diversos países e continentes de forma simultânea. Por isso, o coronavírus acabou sendo classificado com esse status.

Porém, essa categorização, dada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), se relaciona à velocidade e ao impacto de pessoas atingidas, e não à gravidade da doença. Aliás, a Covid-19 tem um índice de mortes relativamente baixo: 3,4% dos contaminados vieram a óbito até o momento.

Para se ter uma ideia, outras doenças fizeram um volume bem maior de vítimas fatais. Por exemplo: a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave), verificada em 2003, matou cerca de 10% dos infectados. Já a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), em 2012, tirou a vida de 35% dos afetados pelo vírus.

Animais podem contrair a nova versão desse vírus?

Um fato que tem contribuído para a confusão em relação aos animais é que muitos deles podem se infectar com outros tipos de coronavírus, em versões mais antigas do micro-organismo. Isso pode acontecer com cachorros, gatos, cavalos, aves e roedores.

Porém, o coronavírus dos pets não tem nada que ver com a Covid-19. Ainda neste post vamos explicar mais sobre esse assunto. Para ajudar seu bichinho em relação ao coronavírus específico dos animais, nada melhor do que manter a vacinação em dia.

Os pets são transmissores do novo coronavírus?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) defende que não há nenhum sinal de que os pets sejam capazes de passar o novo coronavírus para os seres humanos. Entretanto, a entidade ainda está supervisionando pesquisas que estudam a relação dos animais e a Covid-19.

Quais cuidados os tutores devem adotar?

A OMS aconselha alguns cuidados com cães e gatos, bem como com outros animais domésticos. Assim, entre as medidas de precaução está caprichar na higiene das mãos depois de brincar ou tocar no seu filhinho peludo. Afinal, além de não se conhecer a fundo a nova versão do coronavírus, lavar as mãos evita outras doenças, como as provocadas pela bactéria Salmonella.

Além disso, não precisa colocar máscara nos pets, viu! Desse modo, as máscaras devem ser usadas por pessoas doentes ou com a suspeita de infecção. Assim, evita-se dispersar as partículas de vírus por aí.

Os coronavírus de cães e gatos são antigos e não têm nenhuma relação com a Covid-19. A boa notícia é que o desenvolvimento canino do coronavírus pode ser evitado por meio da vacinação anual.

Portanto, até o momento, a melhor coisa que você pode fazer em relação ao novo coronavírus é lavar suas mãos depois de interagir com seu pet. Agora, para quem tem cachorrinho, vacinar direitinho vai protegê-lo do coronavírus específico em cães — que não pega em gente nem é novidade. Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe estas informações!

Por favor, siga-nos e curta-nos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *